Selos

Fernando Pessoa ocupou muitas folhas com apontamentos diarísticos e listas de memoranda . Numa destas listas redigidas de seu punho e datável de 1913, figura o desígnio «Fazer catalogo da bibliotheca (minha)» (BNP/E3, 28-95). O apontamento induz a conjecturar que, já nesta fase da sua vida, Pessoa possuísse um acervo bibliográfico relativamente numeroso e diversificado. Mas que livros formavam parte da sua biblioteca e, mais pontualmente, em que lugares procurava os livros que comprava ou encomendava?
Para responder a esta pergunta contamos com uma fonte de informação imprescindível, tão decisiva como o relato de Henriqueta Madalena Rosa Dias acerca dos gastos ingentes do seu meio-irmão na Livraria Bertrand na Rua Garrett, na Clássica Editora e no alfarrabista Pires na Rua da Prata (cf. Isabel Murteira França, Fernando Pessoa na Intimidade, Lisboa, Dom Quixote, 1987, p. 252). Referimo-nos a fonte constituída pelos selos colados num restrito leque de livros, selos que ainda exibem as identificações das lojas em que foram comercializados. Essas lojas são quase todas portuguesas, mas algumas são inglesas (Figs. 1-2-3).

Fig. 1. Casa Fernando Pessoa 3-75. «The Times | Book Club | 380 Oxford Street | LONDON»; «[...] Nov 1914».
Fig. 1. Casa Fernando Pessoa 3-75. «The Times | Book Club | 380 Oxford Street | LONDON»; «[...] Nov 1914».

Fig. 2. CFP 8-117. «W. & G FOYLE, | THE BOOKSELLERS, | 135 CHARING CROSS ROAD, W. C. | Branches Everywhere | Books Bought.».
Fig. 2. CFP 8-117. «W. & G FOYLE, | THE BOOKSELLERS, | 135 CHARING CROSS ROAD, W. C. | Branches Everywhere | Books Bought.».

Fig. 3. CFP 8-589. «121 | CHARING | CROSS RD | LONDON | ? | BOOKS | BOUGHT | ? | FOYLES | ? | BOOK SELLERS | ? | CATALOGUES | FREE | ? | WE ALLOW MORE | FOR BOOKS BEARING THIS LABEL».
Fig. 3. CFP 8-589. «121 | CHARING | CROSS RD | LONDON | ? | BOOKS | BOUGHT | ? | FOYLES | ? | BOOK SELLERS | ? | CATALOGUES | FREE | ? | WE ALLOW MORE | FOR BOOKS BEARING THIS LABEL».

Entre as lojas portuguesas, onde Pessoa costumava adquirir livros, destacam-se a Livraria Ingleza, ou English Library, de A. Lewtas & Taboada, fundada em 1855 e localizada na Rua do Arsenal (Figs. 4-5-6-7-8-9):

Fig. 4. CFP 0-16 «M. LEWTAS | & M. | TABOADA | BOOKSELLERS | Rua do | Arsenal | 144 | LISBOA».
Fig. 4. CFP 0-16 «M. LEWTAS | & M. | TABOADA | BOOKSELLERS | Rua do | Arsenal | 144 | LISBOA».

Fig. 5. CFP 1-43 «THE ONLY | ENGLISH LIBRARY | ESTABLISHED 1855 | M. LEWTAS & TABOADA | 138, Rua do Arsenal, 144 | LISBOA».
Fig. 5. CFP 1-43 «THE ONLY | ENGLISH LIBRARY | ESTABLISHED 1855 | M. LEWTAS & TABOADA | 138, Rua do Arsenal, 144 | LISBOA».

Fig. 6. CFP 3-2 «Antiga Casa | Antonio Jose Successor | THE ONLY | ENGLISH LIBRARY | Established 1855 | M. LEWTAS & TABOADA | 138, Rua do Arsenal, 144 | LISBOA».
Fig. 6. CFP 3-2 «Antiga Casa | Antonio Jose Successor | THE ONLY | ENGLISH LIBRARY | Established 1855 | M. LEWTAS & TABOADA | 138, Rua do Arsenal, 144 | LISBOA».

Fig. 7. CFP 3-77 «M. LEWTAS | & M. | TABOADA | BOOKSELLERS | Rua do | Arsenal | 144 | LISBOA».
Fig. 7. CFP 3-77 «M. LEWTAS | & M. | TABOADA | BOOKSELLERS | Rua do | Arsenal | 144 | LISBOA».

Fig. 8. CFP 8-14.
Fig. 8. CFP 8-14.

Fig. 9. CFP 8-284. « Nº 7269 | LIVRARIA INGL[EZA] | J. Rodrigues & C.a ? [...] | R. do Arsenal, 144 ? Tel. 27638».

Fig. 9. CFP 8-284. « Nº 7269 | LIVRARIA INGL[EZA] | J. Rodrigues & C.a ? [...] | R. do Arsenal, 144 ? Tel. 27638».

a Livraria Ferreira, na Rua Áurea (Fig. 10):

Fig. 10. CFP 8-287. «LIVRARIA FERREIRA | FERREIRA & OLIVEIRA LDA. | LIVRARIA, IMPRENSA, | ENCADERNAÇÃO | 132 RUA AUREA 138 | LISBOA».
Fig. 10. CFP 8-287. «LIVRARIA FERREIRA | FERREIRA & OLIVEIRA LDA. | LIVRARIA, IMPRENSA, | ENCADERNAÇÃO | 132 RUA AUREA 138 | LISBOA».

a Livraria Nacional e Estrangeira, também na Rua Áurea (Fig. 11):

Fig. 11. CFP 8-604 MN. «LIVRARIA | NACIONAL E ESTRANGEIRA | DE | JOSÉ ANTONIO RODRIGUES & CA | 186 Rua Áurea 188 | LISBOA».
Fig. 11. CFP 8-604 MN. «LIVRARIA | NACIONAL E ESTRANGEIRA | DE | JOSÉ ANTONIO RODRIGUES & CA | 186 Rua Áurea 188 | LISBOA».

a Livraria Ferin, na Rua Nova do Almada (Figs. 12):

Fig. 12. CFP 9-33. «AUGUSTO FERIN | Livreiro | Encadernador | Rua Nova do Almada| n.70 a 74_Lisboa».
Fig. 12. CFP 9-33. «AUGUSTO FERIN | Livreiro | Encadernador | Rua Nova do Almada| n.70 a 74_Lisboa».

e a Livraria Moraes Rua de Assunção (Fig. 13):

Fig. 13. CFP 3-55. «DEPOSITARIA | Livraria Moraes | Lisboa | 49, Rua d'Assunção, 51».
Fig. 13. CFP 3-55. «DEPOSITARIA | Livraria Moraes | Lisboa | 49, Rua d'Assunção, 51».

Sabemos que Pessoa frequentava a Livraria Ingleza pelos selos de muitos dos seus livros, mas também porque esse local é referido num diário de Novembro-Dezembro de 1915; veja-se, por exemplo, a entrada do dia 9 de Novembro: «Some English books arrived at Livraria Ingleza» (Fernando Pessoa, Sensacionismo e Outros Ismos ed. de Jerónimo Pizarro, Lisboa, INCM, 2009, p. 328). É presumível que os livros chegassem do estrangeiro e que Pessoa os tivesse encomendado a partir de um catálogo da livraria ou de uma editora estrangeira.
No espólio pessoano existem muitas listas de encomenda de livros, como, por exemplo, uma de 7 de Abril de 1916, na qual figuram dois livros que ainda hoje constam da biblioteca particular: The Magnet e The Magic Seven, ambos de Lida Abbie Churchill (cf. CFP 1-23 e CFP 1-24).

Fig. 14 (BNP/ E3, 54B-14).
Fig. 14 (BNP/ E3, 54B-14).

Estes dois volumes ostentam os selos da Livraria Ingleza (Figs. 15-16).

Fig. 15. CFP 1-23.
Fig. 15. CFP 1-23.

Fig. 16. CFP 1-24.
Fig. 16. CFP 1-24.

Para Pessoa, a Livraria Ingleza devia representar um recanto de deleite e conforto; devia parecer-lhe como um espaço de paz no meio do movimento da Rua do Arsenal, teatro de algumas das evoluções criativas que "se agitavam na sua cabeça" (cf. a carta a Mário Beirão, de 1-II-1913) e de muitas deambulações metafísicas protagonizadas pelo semi-heterónimo Bernardo Soares (Fig. 17).

Fig. 17. Detalhe do Annuario commercial de Portugal, ilhas e colónias ou annuario commercial do milhão de endereços, Lisboa, [s.n.], 1910, p. 977.
Fig. 17. Detalhe do Annuario commercial de Portugal, ilhas e colónias ou annuario commercial do milhão de endereços, Lisboa, [s.n.], 1910, p. 977.

Era aí, na Livraria Ingleza, que Pessoa costumava também comprar jornais e foi ainda à porta deste local, na primavera de 1920, que decorreram alguns encontros furtivos e apaixonados com Ofélia Queirós. (cf. Cartas de Amor de Fernando Pessoa, organização, posfácio e notas de David Mourão-Ferreira, Lisboa, Ática, 1978, p. 30).

Antonio Cardiello